sexta-feira, 9 de julho de 2010

270 - De profundis


Quanto mais mundo, mais raso me tenho
Quanto mais raso, mais me inundo

22 comentários:

Everson Russo disse...

Forte e profundo,,,abraços de bom final de semana.

Jorge Pimenta disse...

o quiasma perfeito; a circularidade aparente; a gradação quantificada... e tudo no mundo da poesia... com os pés rasos de sede.
um abraço!

Por que você faz poema? disse...

Perfeito o ritmo
e a força das imagens.

Andrea de Godoy Neto disse...

Perfeito!!
toda a profundidade em duas linhas

e eu adoro inundações

beijo, poeta assis!

Luiza Maciel Nogueira disse...

:), mais um poema profundo, raso em poucas linhas para dizer o essencial. Beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

:), mais um poema profundo, raso em poucas linhas para dizer o essencial. Beijo.

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,

poema breve, intenso, arrebatador... Duas linhas em versos marcantes... Grande abraço,

Úrsula

Daniela Delias disse...

Coisa boa inundar os pés no rasinho...como nesse poema! Muito lindo, Assis! Bjos!

Lara Amaral disse...

Para quem transborda sensibilidade, uma gota de poesia é o bastante para se afogar.

Beijo.

Macaires disse...

O âmago é algo inexplicável, só os sentimentos podem dizer...

Um beijo!

nina rizzi disse...

de profundis, de wilde, está entre minhas preferências. nossa, que coragem, a espada.

mas é aqui que dia-a-dia me inundo e me sinto mais próxima do mundo.

beijos.

Mirze Souza disse...

Poeta!

Esse foi profundo demais!

Parabéns!

Beijos

Mirze

Sandra Botelho disse...

E são essas contradições que fazem o mundo ser mundo, e quanto mais me inundo mais no amor me afundo...
Bjos achocolatados

Vanessa Souza Moraes disse...

Inundo, imundo, mundo, mudo.

Gerana Damulakis disse...

Uma joia.

Tania regina Contreiras disse...

"No raso me inundo..." e no breve você recria o mundo!
Abraços, Assis

Mai disse...

É isto, Assis, perfeito!
irretocável.

cheiros mil

Marcantonio disse...

Dístico perfeito que tudo diz das marés inversas ou alternas do eu e do mundo. Clamor que se espraia.

Grande Assis!

Abração.

Cris de Souza disse...

Transbordas lirismo...

Felicidade Clandestina disse...

pequeno e intenso.


quanto lirismo esses versos.

dade amorim disse...

Meu Deus, Assis, que perfeição!

Rejane Martins disse...

...ares fluidos, quantiosa harmonia - tao tua, sensíveis caminhos.