terça-feira, 13 de julho de 2010

274 - Quando leio Manuel Bandeira


O beco se descortina em imenso mar
Tateio querubins em breves passeios
Vejo Irene pedindo licença ao branco
João Gostoso dançando com um trago
E como moro no Nordeste assento-me,
Livro e fico, ao balouçar de brisa e rede

22 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

ah lembrou-me a Bahia, uma rede e um cochilo...ah que bom seria. Poema tranquilo, Manuel Bandeira tem tantos personagens ilustres. :)

beijo

Maria Vieira disse...

que bom passear pela antologia do bandeira através dos seus versos!

Felicidade Clandestina disse...

ah, que delícia a poética de Bandeira :)


"estou farto do lirismo..."



obrigada por aparecer em meu reino meu caro.
seja sempre bem-vindo por lá.

abraços.

Ana SS disse...

E como moro no Nordeste...
eu li "e como morango do Nordeste"...rs

Fred Caju disse...

Acabei de conhecer esse blog e já espero que um dia seu nome seja "Dois Mil e Um Poemas".

Sandra Botelho disse...

E nessa rede de descanso...
me derramo em um breve balanço
e deixo que sonhos me levem
E me acordar nem os passaros se atrevem...
Bjos achocolatados

Ribeiro Pedreira disse...

bandeira é isso: um eterno acordar.

dade amorim disse...

Poema e rede, Bandeira acompanha feliz :)
Beijo e bênção.

Tania regina Contreiras disse...

...e salve Bandeira e Assis, Recife e Bahia, salve!
Muito bom, Assis..
Abraços

Mirze Souza disse...

Muito BOM!

E bem acompanhado está hoje o poeta e Manoel Bandeira!

Beijos

Mirze

Lara Amaral disse...

Semana passada fui a um sarau em homenagem ao Bandeira, foi ótima a leitura de poemas dele. E melhor ainda sua releitura aqui.

Beijo.

Jorge Pimenta disse...

manuel bandeira, dos primeiros poetas brasileiros (do mundo, melhor dizendo) que li... impossível ficar-lhe indiferente, verdade?
um abraço!

Zélia Guardiano disse...

Amigo Assis
Que bom que és, assim, tão feliz, nesta tua terra de encantos...
Posso ver-te nessa deliciosa rede que me contas...
Enorme abraço!

Zélia Guardiano disse...

Nossa! Empolguei-me tanto contigo, que deixei Bandeira de lado...

nina rizzi disse...

quando leio bandeira... ah, nem sei, viu...

Abraão Vitoriano disse...

Assis,

Estou cá pra te convidar para a blogagem coletiva: “Tempos de criança”, em virtude do aniversário de dois anos do meu blog. A intenção é narrar livremente imagens, memórias e impressões da infância, e no quanto isso foi importante para sua vida. Pode ser em poema ou prosa, como preferir...
Quero comemorar em grande estilo com a participação de todos no dia 16 de Julho (sexta-feira) a partir das 9h00 da manhã. Muito obrigado, e espero sua confirmação até quinta para expor na minha página os endereços dos respectivos blogs integrantes.

Abraços e beijos,
Do menino-homem

Solange Maia disse...

que lindas palavras...
Bandeira e Assis... de uma só vez... UAU !!!!

beijos

Andrea de Godoy Neto disse...

Que delícia balançar nestes teus versos de Bandeira, Assis!

um abraço

Gerana Damulakis disse...

Bandeiriana que sou, amei o poema.

Everson Russo disse...

Serena e suave essa brisa,,,abraços de bom dia.

líria porto disse...

assim me sinto - belo belo!
besos

Mai disse...

Doce deleite!

cheiro