sexta-feira, 30 de julho de 2010

291 - poema do não ser, vicejando


assombrosamente lírico
como o céu em acontecimento
como o vento cortando o raso na caatinga

desenhando sinais no guizo da cascavel
alumiando de espantos o canto da arribação

21 comentários:

Angélica Lins disse...

Esquentou meu coração como um abraço.
Nem imagina como me faz bem a tua visita.


Admiro-te muito!
Beijo

ryan disse...

pedrando o terreno
q fita o céu indiferente.

Everson Russo disse...

Um poema que a gente vai lendo e desenhando na tela do pensamento...abraços de bom final de semana.

Jorge Pimenta disse...

o lirismo nos dois gumes de um mesmo varapau: ora sibilando, como a cascavel, ora assobiando pelos lábios da ninfa. e o acontecimento é o céu que arriba no peito de quem escreve e de quem lê. assombrosamente.
um abraço, poeta amigo!

J.F. de Souza disse...

a beleza do não-ser, que só se mostra aos sentidos mais aguçados. =)

1[]!

Lua Nova disse...

Um poema que é um carinho e que faz a alma de qualquer leitor vicejar, respirar fundo e se sentir em plena natureza.
Beijos.

LauraAlberto disse...

e cada vez mais É!
Beijos
Laura

Lara Amaral disse...

Queimando de vez meu arrebol...

Lara Amaral disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mirze Souza disse...

muito BOM!!!!

aplausos, poeta!

Beijos

Mirze

Mirze Souza disse...

muito BOM!!!!

aplausos, poeta!

Beijos

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

assombrei-me de poesia tão bem escrita :), beijos

Vanessa Souza Moraes disse...

Este espantar-se cotidiano...

Ribeiro Pedreira disse...

cantos do sertão.

Gerana Damulakis disse...

Bonitos, bonitos versos!

Daniela Delias disse...

Alumiou minha noite com doces espantos!!! Bjão!

Primeira Pessoa disse...

tu é torcedor do vitória? não? sim? uai, depois dos 2 dois a lona da vila belmiro, tá me cheirando a vicejante....rs

acordei meio garoto de ipanema. cheio de graça. desabei às 7 e renasci à meia noite...

poema pra ser lido (escrito?) escutando elomar.
acertei?

Everson Russo disse...

Abraços de bom sabado pra ti amigo.

Mai disse...

Aqui, meu caro, tudo é lume.


cheiros

Lou Vilela disse...

Imagens que alumbram meu ser.tão! Um primor!

Beijos

Cris de Souza disse...

Flamejando a fonte...