quinta-feira, 22 de julho de 2010

283 - Poema de incandescente lilás

Nesse dia de nuvens
Passeiam-me os pastos
De desejo e vontade no teu corpo

Nesse dia de nuvens
Desabitado como as tuas sandálias
Colho trevos da sorte e projeto:

Atirar-me em pleno desassossego
Ao mais selvagem fetiche de orgia
Morrer na tua saliva em ebulição

19 comentários:

Everson Russo disse...

"Morrer em tua saliva" seria morrer num gosto bom,,,abraços de bom dia.

Lídia Borges disse...

Intenso, real, lindo...


Um beijo

Mulher na Polícia disse...

"Desabitado como as tuas sandálias"
Essas sandálias devem guardar uma tristeza assim nesse estado.

De tirar o fôlego esse poema.

Beijos!

Maria Vieira disse...

levo-o. sim. e deixo-me.
bjos.

nina rizzi disse...

eu gostava de ser uma nuvem e me precipitar saliva.

lilás é a cor das minhas calças e da minha blusa e dos meus lábios e chinelos e dedos. exércitos.

nuvem tem cheiro, visse.

Luiza disse...

Ameiiii seu blog...

Beijo

[ rod ] ® disse...

Vou tuitar com os créditos. A poesia é viva e de sorte em sorte morre acesa no cantar alheia! Abs amigo.

Veja link abaixo do que postei no twitter:

https://twitter.com/r_glima/status/19272650356

Lara Amaral disse...

"Passeiam-me os pastos
De desejo e vontade no teu corpo"

O seu lirismo me alcança até a última gota do meu orvalho, vc é imbatível, poeta!
=)

Ana SS disse...

Lirismo quente.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Quanta paixão!

Beijos.

Naná disse...

Uau!


Lindo poema!


:)

Insana disse...

encantada..

bjs
Insana

Macaires disse...

E quando desejos pairam, corações vão a mil!

Um beijo, Assis!

Andrea de Godoy Neto disse...

nesse dia de nuvens, quando a tua incandescente poesia me encanta, fico pensando...mas de onde é que vem esse poeta? que solo será que alimenta as raizes desses versos?

sei lá...só sei que é fértil como nunca vi igual

beijo, poeta gigante!

Jorge Pimenta disse...

como condensar todo o desejo num só verso, assis? eu não sei... mas tu sabes:
"Morrer na tua saliva em ebulição"
arrepiante, no mínimo!
um abraço, poeta!

Vanessa Souza Moraes disse...

Desassossego nosso de cada dia :)

Marcantonio disse...

Mergulho em lava poética.
"Desabitado como as tuas sandálias" é fora do comum!

Abração.

Gerana Damulakis disse...

Fiquei presa no verso: "Desabitado como as tuas sandálias". Muito, muito bacana.

Cris de Souza disse...

Nesses dias de nuvens estrelam delírios.