quinta-feira, 1 de julho de 2010

262 - Cantata em dó maior

A tua voz vem do silêncio
que contemplo atônito
em vastas madrugadas

feito o arrepio de um pelo
feito apelo que vem do vento

18 comentários:

nina rizzi disse...

oh, aqui muito mais que palavras. e silêncio.

chove na fortaleza-bela e eu não fui correr na praia. mas é bom também 'começar' assim o dia.

beijos.

Tania regina Contreiras disse...

Prosa para retiro e calmaria, poema lento em almíscar,cantata em dó maior: é a tua voz, Assis, que vem de um silêncio repleto e ai de nós se não tivermos um dia a tua palavra e os teus versos! Sentir aqui aqui a música dos versos já é caminho certo.

Abraços,
Tânia

Marcantonio disse...

Cantata breve e serena com aliterações em 'V' de vento e 'F' de perfeito!

Abração!

Everson Russo disse...

Apelo do vento em madrugadas de solidão,,,belo,,,muito belo...abraços

Luiza Maciel Nogueira disse...

do silêncio a poesia nasce.

beijo.

Daniela Delias disse...

Do lado de cá, arrepio no pelo...
Mtos bjos!

Lara Amaral disse...

O auscutar da pele...

Belíssimo!

Abraço.

dade amorim disse...

O dístico final é coisa de mestre, Assis.

Beijo.

Sandra Botelho disse...

Esse apelo encanta...Soa ao vento...
Bjos achocolatados

vim convidar para conhecer Female.

http://femaleandfriends.blogspot.com/

Insana disse...

O silêncio é algo que doi em mim.

bjs
Insana

Mirze Souza disse...

O silêncio merece uma cantata em dó maior!

Belíssimo!

Beijos

Mirze

Lou Vilela disse...

Um dia escrevi:

[...]e o poeta (in)venta
: faz da pena um moinho.

Sua poesia tem longo alcance, Assis.

Beijos

nydia bonetti disse...

um poema para ser contemplado. silenciamos nós, enquanto o poema canta. beijos.

Ana SS disse...

Imersa no vento.
Fui...

Gerana Damulakis disse...

Sublime.

Jorge Pimenta disse...

entre vozes que dizem e calam, a música que não sabe parar. porque é orquestrada pela boca do vento e escutada pelos ouvidos do peito. em dó maior... com o maior dos dós...
um abraço, poeta!

Andrea de Godoy Neto disse...

ahh, o apelo do vento, que venta na pele...

maravilhoso, assis!

beijos pra ti, poeta que me tira o fôlego!

Júlio Castellain disse...

...
Maravilha, Assis.
Esse é o tom.
Abraços.
...