quinta-feira, 4 de agosto de 2011

665 - prosa rasa para rútilo cintilar

a poesia escoiceia a didática
obcecada pela ânsia do espanto
ruge aos sentidos em oferenda
para fluir trôpega na vertigem
lamber os parágrafos da língua
improvisar um rito de assombro
saciar assim o céu de elevação

15 comentários:

MIRZE disse...

Lindo, ASSIS!

A arte é aquilo que "espanta", há uma combustão de sentimentos ao se ler.

Sua poesia alcança essa explosão de espanto.


Beijo

Mirze

Batom e poesias disse...

Assombrosa mesmo...
Bj

Rossana

Everson Russo disse...

E perfeito poder saciar esse céu de elevação...abraços de bom dia.

Celso Mendes disse...

uma poesia deseja sempre impactar. neste rútilo cintilar, o espanto e o assombro ficam nos olhos do leitor.

abraço.

Analuz disse...

Voz que me espanta é aquela que, quando menos espero, grita dentro de mim...

Beijinho sempre admirado, poeta Assis!

dade amorim disse...

Imagina, se a poesia se tornasse cúmplice da didática, adeus assombro.
Beijo beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

ah esse "céu de elevação", ainda bem que nos deixa mordiscar teus versos :)

beijos

Cris de Souza disse...

do ínfimo ao infinito espanto - que assim seja!

beijo, mestre.

Cris de Souza disse...

do ínfimo ao infinito espanto - que assim seja!

beijo, mestre.

Jorge Pimenta disse...

há um poeta inglês (ups, esqueci o nome...) que dizia que morreria no dia em que os seus textos fossem parar a um manual escolar. a poesia não pode ser objecto de análise fria, e objectiva sob pena de perder toda a sua capacidade de nos surpreender. como a tua escrita o faz a cada novo dardo destes 1001 que se nos fazem infinitos.
saio para férias até meados do mês; prometo actualizar os 10/12 poemas perdidos no meu regresso :). é absolutamente indispensável fazê-lo, poetaço!
abraço!

Zélia Guardiano disse...

A poesia, tão ela, tão independente...
Apoiada!!!
Abraço da
Zélia

Eder Asa disse...

Não é nada mais excitante que uma bela lambida num poema...

Vais disse...

É uma prosa danada de boa

beijo

Bípede Falante disse...

A poesia está acima das mediocridades bobas da vida.
beijosss

Ingrid disse...

e assim encantas a escrita..
beijo