sexta-feira, 5 de agosto de 2011

666 - metapoema assustado à guisa de portos cardeais

ao oeste do que me vive
comove o verso que leste
és meu norte por todo sul
mesmo em sol quando suo

intuo de arroubo o sumo
da palavra atada ao cais
para subverter da sílaba
vértebra nua em voo cego

* A Dani me fez feliz oferenda aqui

19 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Um maquinismo perfeito parece ir colocando as palavras mais exatas nos lugares mais acertados!
Lindo demais, meu querido Assis!
Abraço

Everson Russo disse...

Desnorteados sentimentos em versos plenos de amor...abraços de bom final de semana.

Van disse...

Rosa dos ventos. Presença em todos os pontos e rumos.

Beijos Assis!

Analuz disse...

Deixo-me perder entre teus versos...

Beijinho encantado, poeta Assis!

Bípede Falante disse...

Assis, li, da semana passada para cá, dois livros do Auden e li por causa do Funeral Blues. Fiquei com o norte, sul, leste e oeste na cabeça e a sentir o quanto o mundo gira.
Adorei o poema :)
beijoss

Júlio Castellain disse...

...
Maravilha, amigo Assis.
Meu abraço.
...

Ribeiro Pedreira disse...

poema requintado de mistério, como o nº 666.

Sandra Botelho disse...

E assim se faz o poema...Bjos achocolatados

José Sousa disse...

Não foi só o Luis de Camões que foi poeta amigo Assis! Vc o acompanha muito bem!

Um abraço e bom fim de semana.

MIRZE disse...

BELO!

É preciso livrar a palavra atada ao cais.

Beijo

Mirze

Daniela Delias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniela Delias disse...

Falando em pontos cardeais, enquanto lia ouvi Vitor Ramil cantando "Deixa eu me perder, pequeno mundo meu...".

É tão lindo, tanto quanto o teu poema. O link está aqui:

http://youtu.be/F7yHemo7-PI

Bjos meus!

Luiza Maciel Nogueira disse...

As palavras soam ternas e me embalo! Agradeço. Beijo

Luiza Maciel Nogueira disse...

As palavras soam ternas e me embalo! Agradeço. Beijo

Vais disse...

deixar ou desfazer o nó que ata a palavra, elementar :)

beijinho Assis

dade amorim disse...

Importa pouco o ponto cardeal, vale essa intuição de arroubo.
Beijo beijo, Assis.

dani carrara disse...

e os pontos candeiais
me confundem toda..
porque de tantos portos
o sul é o sul pra todos
e os lugares são outros.

- fezfeliz podia ser uma palavra só, né?

beijão.

Eder Asa disse...

Todo(bom)poema tem um mensagem subliminar...
Sinistro ou destro?

Ingrid disse...

bússola a guiar o rumo dos teus versos..
beijos perfumados poeta.