sábado, 20 de agosto de 2011

681 - madrigal de lisonja aos encantos de senhora e lavanda

com quantos nomes assinaria por ti o amor
pois de amar se colheu múltiplos ramos

e nesta enseada onde vicejam areia e pés
e nesta paisagem de nuvens em alvoroço

cumpre o vento de seguir-te os passos
cumpre o pássaro de alçar-te em voo

com quantos nomes assinaria por ti o amor
pois de amar se acolheu o fogo em sossego

14 comentários:

Analuz disse...

Canto-brisa numa manhã de sábado ensolarada...

Beijinho encantado, poeta Assis!

Everson Russo disse...

Voo louco de pássaro seguindo os passos do vento do amor...abraços de bom sábado pra ti amigo.

AC disse...

E os encantos da senhora encontram eco no poeta...
Lindo, Assis!

Abraço

MIRZE disse...

Lume, amor lavanda!

Maravilha!

Beijo

Mirze

Ingrid disse...

canto de amanhecer em amor..
encantador Assis..
beijos perfumados.

Cris de Souza disse...

esse é daqueles poemas que nos arranca suspiros.

lindeza, mestre!

(ando caladinha por falta de tempo mas não deixo de te ler, viu)

Cris de Souza disse...

esse é daqueles poemas que nos arranca suspiros.

lindeza, mestre!

(ando caladinha por falta de tempo mas não deixo de te ler, viu)

Daniela Delias disse...

Belo. Belo...

dade amorim disse...

Sempre tanta beleza nesses 1001, Assis!

José Sousa disse...

Olá querido amigo Assis.
Muito lindo este teu poema, como sempre.
Desculpa só hoje, mas é que o trabalho não me dá tempo para blogar.

Um abraço e bom Domingo.

Rejane Martins disse...

mesmo muito bonita esta fartura de versos que fluem da tua pena, mesmo!

Anna Amorim disse...

Poeta,

Seguir-te as palavras em nome do amor.

Beijos,

Anna Amorim

Vais disse...

Ei, Assis
concordo com a Cris
Madrigal de suspiros e ais

682 - ária de não saberes, de acúmulos, de habitações de caminhos e deslizamentos e de afogamentos em línguas e verbos

683 - voando amor leal de vento em proa descansa na calma nuvem e segue desatinado à procura a procurar encontros e desencontros

beijos

Luiza Maciel Nogueira disse...

Uma lareira quentinha junto a fondue e vinho, lembrou-me esse cenário. Beijos