quarta-feira, 10 de agosto de 2011

671 - Cantata em rito para novena de sete noites

é preciso acolher tempo e silencio
sou rio nessa empreitada de mar
e os olhos deram de acender nuvens
vejo girassóis em abóbadas e auroras
assim me alimento de contemplação
mesmo vazio pesam-me as algibeiras
deve ser o estranhamento que carrego

14 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Contemplação é a forma de passar o tempo, vendo as coisas acontecerem.
Abraço

Lara Amaral disse...

Esse olhar de estranhamento é o que provoca girassóis ciliados ao seu redor.

Beijo.

Everson Russo disse...

Precisamos de tempo e silencio pra acalentar a alma..nos fazer de rios em direção serena do mar...abraços de bom dia pra ti amigo...

MIRZE disse...

....e os olhos deram de acender nuvens!!!!!

Maravilha!

Beijo

Mirze

Lou Vilela disse...

Distintos olhos de a(s)cender. ;)

Bjs

Bípede Falante disse...

Se os olhos acenderem nuvens, o corpo e a alma poderão ser o próprio céu. Adorei esse poema :)
beijoss

Celso Mendes disse...

feliz de quem carrega tais estranhamentos: são loucos ou poetas.

abraço!

Oria Allyahan disse...

Engraçado, poeta, sabe aquelas caixinhas que contêm uma série de mensagens, que vc tem de escolher apenas uma para ler? E, depois da leitura, acontece de às vezes vc ficar com aquela instigante sensação de que a mensagem lida era tudo o que vc precisava ouvir... Tem gente, inclusive, que faz isso com os salmos bíblicos ou quaisquer outras passagens. Eu constumo fazer isso c seu blog!

Obrigada por estas palavras!

^^

obs.: "Cantata em rito para novena de sete noites". Que coincidência, não?

Luiza Maciel Nogueira disse...

É preciso sim, tudo isso! Beijos.

Tania regina Contreiras disse...

Vejo girassóis quando te leio...sempre. Eu, que ando em tempo de acolher o silêncio.
Querido poeta, esse é pra guardar, e vazio nunca vc está, a não ser que o vazio seja de plenitudes: amei...
Beijos,

Eurico disse...

Ando sempre a contemplar, extasiado, as tuas nuvens de imagens e de metáforas.

Abraçamigo e fraterno.

Daniela Delias disse...

Também ando assim...meus olhos deram de acender nuvens. Adoro qdo é vc quem diz desses sentimentos. É único esse seu jeito de dizer...
Bjos, amigo querido.

Ingrid disse...

perfeição sempre poeta..
beijos..

Cris de Souza disse...

é preciso o estranhamento que reconhecemos no seio.

beijo, mestre!