terça-feira, 11 de maio de 2010

211 - cálido encanto


com avidez do raio
colho esperança
nessa réstia de olho
que sacia o dente

13 comentários:

Mai disse...

Não sei bem porque, mas sei que creio, que na luz dessa tua poesia, a de cada dia, haverá calor e alimento prá alma.
Há um 'quê' de encanto
em tudo que escreves.


cheiro

Zélia Guardiano disse...

Realmente, Assis: cálido encanto!
Lindo!
Um abraço

Lara Amaral disse...

O olhar aqui tem um brilho que comove, lindo!

Abraço.

nina rizzi disse...

esse poema me lembrou "pelo vinho e pelo pão",do zé ramalho: "quantos olhos vc tem a me falar/ quantas bocas vc diz a me olhar..." e eu adoro esta música. até cantar :)

e eu também olho assim, de ladinho, a procurar encantos.

meu beijo :)

Maria Vieira disse...

um olhar é bem capaz de me alimentar por anos, versos ou sei lá mais o que.

Dhebora Hevelin disse...

Olá, estou visitando!
Adorei seu blog, vou seguir e voltarei mais vezes...

Beijos ♥

Jorge Pimenta disse...

o olhar é de viés; o encanto do poema é inteiro.
um abraço, assis!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Belo olhar o seu em relação não só a poesia como também ao mundo...

...belo espaço!

Abraço

Primeira Pessoa disse...

assis,
tava com saudade de vir aqui te abraçar... e tomar na veia, minha dose diária da sua poesia.

abraçao, poeta!

Lou Vilela disse...

Um olhar-alimento! Difícil mesmo é saciar a fome de-ser-tão.;)

Beijos

Gerana Damulakis disse...

Imagem muito instigante, Assis.

Rejane Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rejane Martins disse...

..ainda sobre encanto e acordes, por temperos e afora do tempo: eu guardo.