segunda-feira, 24 de maio de 2010

224 - poema de desdita


cumprimos a senda de outros olhos
neste fado sem quimeras
não chegamos a lugar algum
e deste mar sem escrúpulos
nos banham vagas ensimesmadas

18 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

não chegamos a lugar algum

Eis a vida, rs.

Wilson Torres Nanini disse...

Da deriva, surge o farol da sua poesia, que amanhece descobrimentos sinceros.

Fortes abraços!

Maria Vieira disse...

não chegamos, eu sei. mas partimos o tempo todo, ou não? será?
beijos. adoro.

nina rizzi disse...

pode parecer que não tenha nada que ver, mas me lembrei "ah, este inferno de amar". pra vc, minha ode às partidas e partilhas.

e meu beijo.

Lou Vilela disse...

Teus versos também exigem reflexão. =)

Um cheiro

Isabella Nucci disse...

Todas as suas poesias são muito bem escritas. Isto sim é talento!
Beijos.

Fouad Talal disse...

... se alma não é pequena"

Abraço!

Marcantonio disse...

Eventualmente chegamos às nuvens, sim: alguma arte, alguma poesia, algum amor. Mas retornamos por chuvas desiludidas e amargas à terra, que por fim...

Abraço, Assis.

Lara Amaral disse...

Sempre encharcada de vazios...

Abraço, querido.

Úrsula Avner disse...

Olá poeta, seus versos suscitam reflexão, mistério, encanto poético... Um abraço.

Jorge Pimenta disse...

mar é mar... mesmo que nele vogue a desdita.
um abraço marinho, assis!

Primeira Pessoa disse...

em-ti-mesmado, fico..
abestalhado, assis... é assim que fico quando venho aqui.

essa açucena é sua.

Gerana Damulakis disse...

Cada vez mais ricos estão os versos.

tania não desista disse...

não chegamos a lugar nenhum...porque nunca sabemos ...onde queremos chegar.
bonito demais!
bj
taniamariza

Juan Moravagine Carneiro disse...

O barco sempre se choca contra o cotidiano...

Zélia Guardiano disse...

Querido assis
"Cumprimos a senda de outros olhos..."
Sempre a senda de outros olhos! Nunca uma senda inédita... Nunca uma senda que outros pés não tenham, ainda, pisado...Ai!
Poema lindo de doer a alma!
Grande abraço, amigo!

Mirze Souza disse...

Lindo, Assis!

Fiquei ensimesmada e vaga com o mar sem escrúpulos!

Filosofia poética!

Beijos

Mirze

Mai disse...

Viver, apesar.
belo, melodioso.
cheiros