sábado, 29 de maio de 2010

229 - metapoesia no jirau


dói-me um ócio de outono e uma ânsia de primaveras
que de pasmar fico eu em noites acalentadas de vento

16 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Ai, Assis, que padeço, também eu, dessa mesma dor...
Lindo e universal!
Abraço

Lou Vilela disse...

Cada estação, apesar da ânsia, brinda-nos com seus belos partos. ;)

Beijos

Primeira Pessoa disse...

verdade verísica de quem mora em países que "respeitam" (achei engraçado isto aqui, este "respeitam" e depois falaremos sobre...) as quatro estações: na ânsia de primaveras o inverno nunca tem fim...
é a mais pura verdade.

Mai disse...

Talvez o outono precise ser assim - calmo, lento, preguiçoso - grávido de invernos que anseiam primaveras que todos, 'verão'.
cheiros

Marcantonio disse...

Ah! Essa coisa da Terra girar em torno do sol! En quanto, nela embarcados, sonhamos transgredir as estações. Por mim, deixaria o outono estacionado, as outras estações aguardando vaga.

Abração!

Everson Russo disse...

Em toda estação há encantamento,,,no outono existem as cores opacas que tanto seduzem,,,abraços amigo,,,bom sabado.

Isabella Nucci disse...

Eu gosto do outono pois tudo fica mais tranquilo, a mente sossega um pouco... E a primavera, ah! a estação das flores e inspirações...

Andrea de Godoy Neto disse...

ah! assis, outonais inspirações...

o outono nos convida para dentro, o problema é que depois vem o inverno, que é poço bem fundo e difícil de sair

gosto mesmo é de primaverar! mas, para abrir-se em flor, é preciso o ócio do outono que guarda os botões, né?

beijo pra ti

Vanessa Souza Moraes disse...

ânsias do ano todo.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Ócio, ânsia...
Ò, inconstância da alma humana!
Você, poeta de toda estação...
__ Outoninvernimaverão você.

Abraço em folha, fruto e flor:
Pedro Ramúcio.

nina rizzi disse...

eu adoro a palavra jirau.

Jorge Pimenta disse...

antónio variações, poeta, músico e barbeiro de profissão tem uma canção em que diz "eu estou bem aonde não estou e eu só quero ir aonde não vou..."
um abraço, poeta das quatro estações!

Mirze Souza disse...

E ainda falta o inverno.

Mais belo que nunca, Assis!

Parabéns, poeta!

Beijos

Mirse

Tânia regina Contreiras disse...

Ânsia de primaveras, Assis, bem sei do que falas, embora eu não tivesse sabido dizer assim. A gente parece viver o tempo todo esperando o amanhã, a próxima estação, o que vemos de longe.
Abraços,
Tânia

Gerana Damulakis disse...

E há que seguir, cumprir os ciclos.

Lara Amaral disse...

O que seria de nós se não fosse a ânsia para fazer vibrar momentos de brisa calma.

Cheiro ;)