sexta-feira, 14 de maio de 2010

214 - fantasia para cravo e alaúde


do mar não quero o alento
de vagas e ilhas nuas
onde habitaram teus desejos
antes anseio repouso de areia
o sobraçar de uma ventania

14 comentários:

Everson Russo disse...

Ilhas que bailam sobre as aguas onde habitam seus desejos,,,,onde ao certo mora o amor,,,,otimo final de semana pra ti amigo,,,forte abraço.

nina rizzi disse...

putz, eu sou filha de oyá, mas... pensando bem, é bom com a ventania andar de braos alados.

cheiro, menino.

Marcantonio disse...

O sobraçar de uma ventania! Eu me pergunto, parafraseando a Tânia, de onde vêm as imagens que se desviaram da retina? E eis que surgem em poemas como esse, que parece não ter sido feito, mas pescado inteiro, na rede, ali mesmo na areia.

Grande abraço!

Mirze Souza disse...

Beleza é isso!

É se debruçar sobre o mar e mirar em seu espelho. palavras e devaneios!

Belíssimo!

Parabéns, Assis!

Beijos

Mirze

Primeira Pessoa disse...

parafraseando belchior... "vida, vento vela, leva-me... daqui"...

venho bater meu cartão, poeta!

Júlio Castellain disse...

...
Parabéns, meu amigo.
Abraço.
...

Juan Moravagine Carneiro disse...

Talvez deitado em uma barca...

Lara Amaral disse...

Ai, vc falando de mar aqui, eu lá... só que sou mais arriscada, sempre busco "naufrágil", como diria a Hercília, rs.

Beijos.

Jorge Pimenta disse...

as imagens líquidas tocam-me especialmente, caro amigo. haja vendaval ou brisa...
um abraço!

dade amorim disse...

Bom se o vento pudesse nos levar em repouso, como um tapete mágico, leve leve...

Gerana Damulakis disse...

212, 213 e 214 estão com títulos belíssimos (antes que eu esqueça de comentar isso).

"antes anseio repouso de areia
o sobraçar de uma ventania": excelente.

Solange Maia disse...

um repouso na areia, e uma ventania na alma... prá mim seria o final de semana perfeito...

perfeito aliás, são seus versos, este e os outros que tive o prazer de ler... que lindo como baila com as palavras...

beijo

Lou Vilela disse...

Teus lindos versos lembraram-me:

Praian(d)o

teus balbucios
moinho de ventos
assopram ser-tons
e me espraiam
arenosa que sou
horizontal mente

Lou Vilela


Cheiro!

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"antes anseio repouso de areia..."

Lindo!! Dizer mais o quê?

Ps: Obrigada pela msgm em meu blog, volta sempre, és muito bem-vindo!

Amplexos,

Márcia