sexta-feira, 21 de maio de 2010

221 - fantasia para couro e corda


a senhora das madrugadas
tinha o feitio rútilo
era alvoroçada de gestos
em seu vôo desencontrado

a senhora das madrugadas
enternecia lençol e orvalho
para o entrelaçar ardoroso
da nossa tosca primavera

14 comentários:

Mai disse...

(um sorriso)
É bonito esse instrumento e os sons que ele faz.

cheiros

P.S.
obrigada pelas palavras.
Ressignificar é como entrar numa floresta densa
ou mergulhar no fundo de um oceano: muitos sons, pouca luz e o alerta de todos os sentidos.
Nada é certo, erra-se muito, porque só resta sensação e cegueira. Viver é tão subjetivo tantas vezes...

cheiros em acordes.

Marcantonio disse...

!!!!!!! Haja pontos de exclamação! A descrição dessa senhora é bela demais.

Uma intromissão: esse P.S. da Mai é muito bonito.

Abraços aos dois.

nina rizzi disse...

hoje sou eu, que corro, corrôo co'as ventanias. algo está morrendo aqui.

beijo, assis.

Zélia Guardiano disse...

Assis
Essa esvoaçante senhora dança, voa, flutua...
Poema lindo!
Abraço

Lara Amaral disse...

Senhor e senhora orvalhados...

Abraço!

Tânia regina Contreiras disse...

Não há quem não fique no mínimo alvoroçado quando esta senhora passa, heim??? Sai acendendo tudo!

Beijos, Assis!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

a senhora que chega seca, por vezes dra-matica e nos leva a poesia e pode nos deixar a prosa da vida gasta

Lou Vilela disse...

Quantas senhoras cabem em um poema tão bem construído, Assis!? A noite, a lua, a dama de negro, outras tantas, outra tua...

Lindo!

Jorge Pimenta disse...

por momentos fizeste-me empreender uma viagem ao universo de alexandre herculano e do seu eurico, o presbítero (das mais belas obras que alguma vez li). essa aura misteriosa que pende sobre os seres femininos, os amores im-possíveis, a alvorada como pano de fundo, o orvalho nos olhos e na alma... ao longe, a redenção espreita timidamente...
um abraço, poeta!

Primeira Pessoa disse...

banda de couro e corda...

acabo de criar uma banda de gente feliz.

simbora comigo?

Andrea de Godoy Neto disse...

que beleza de senhora esta, desenhada em teus versos!!
e versas tanto, que me entonteces...

abraços, dos maiores que existem

(p.s.: tomara um dia eu desabroche, em versos que encantem assim... obrigada por tuas palavras :)
ah! e essa banda aí do roberto tá parecendo pra lá de boa, né?

Adriana Karnal disse...

adoro a palavra rútilos...me lembra Hilda Hilst, uma das poucas q a usou...rsrs...como vc escreve bem!!!

Juan Moravagine Carneiro disse...

Certas passantes...

Gerana Damulakis disse...

"enternecia lençol e orvalho": aqui o poema.