terça-feira, 25 de maio de 2010

225 - cantiga de adormecer presságios

esqueçamos os vitrais
eles não fazem mais parte da paisagem
somente o coração desfila solene
por estas cercas de jasmim
e carrega anseios de esperas e vindas

esqueçamos os vitrais
repara na uniformidade deste silêncio
ele aprisiona as árvores que te foram cativas
concede-me apenas que te doe estes olhos
eles são tua imagem em todos os espelhos

15 comentários:

Luiza M. Nogueira disse...

:) "cercas de jasmins"

bela imagem!

bj.

Vanessa Souza Moraes disse...

Não doe os olhos, empreste-os...

Mirze Souza disse...

Maravilhoso, Assis!

Quando eu crescer, quero escrever assim.

Esquecer os vitrais, mas sentir o coração.

Reparar no silêncio que "aprisiona árvores", e ainda há uma doação de olhos. que vêm por outro prisma.

Emudeci!

Beijos

Mirze

Tânia regina Contreiras disse...

De onde tiras essas imagens, não sei. Mas elas nos falam com uma precisão impressionante de coisas imprecisas e faz solavancos na gente, ah, isso faz! Maravilhoso, como sempre!

Abraços, Assis

Jorge Pimenta disse...

o tom apelativo e reaccionário apintando o dedo a todas as formas subliminares de deturpação do eu: vitrais, vidros, espelhos, água... até os olhos...
um abraço!

Lara Amaral disse...

Ai, lindo de viver!

Abraço.

Marcantonio disse...

O seu poema subverte em definitivo a uniformidade do silêncio, liberando a canção nele cativa.

Abração!

Gerana Damulakis disse...

Um dos grandes.E os 2 versos finais são especialíssimos.

Andrea de Godoy Neto disse...

"concede-me apenas que te doe estes olhos
eles são tua imagem em todos os espelhos"

de uma beleza que até dói, assis!

quem já enxergou assim bem entende

abraço pra ti

Juan Moravagine Carneiro disse...

belo desabrochar em versos...

abraço

ErikaH Azzevedo disse...

Todo poeta tem olhos assim...olhos de (a)amar!

Os olhos são sempre nossos , mas o olhar , esse não..esse sempre é daquele a quem se ama.

Lindo, lindo...

Bjos querido

Erikah

nina rizzi disse...

nossa, eu não sei se consigo dizer algo além de "caramba, que lindo, como me encontra". eu fico meio pasmada quando leio coisas assim...

Isabella Nucci disse...

"carrega anseios de esperas e vindas"
minha parte preferido do poema, tanto que faz jus ao meu coração :)

Mai disse...

Poema de adoração.
Belíssimo!
cheiros gregorianos.

Lou Vilela disse...

Particularmente, gosto dos olhares compartilhados e da ausência de pedestais, que sobrepõem a realidade. E acho que o que aprisiona é justamente a liberdade de ir e vir. ;)

A frase "carrega anseios de esperas e vindas" diz tanto...

Beijos