sábado, 9 de outubro de 2010

362 - noturno para os teus caninos


a noite desdenha do meu caminhar
por isso põe calçadas neste deserto
faz rol de estrelas a vincar-me os passos
enquanto sigo crucificado de mansa luz

14 comentários:

Mai disse...

Abrí um imenso sorriso, porque este título (uma especialidade sua) é um capítulo à parte.

E de repente tudo se inverte num ataque mourisco de lobas.

muito, muito bom!

cheiros de uivar...
Muitos sorrisos

Everson Russo disse...

A noite muitas vezes é tão infinita quanto os caminhos a percorrer...abraços de bom sabado.

Luiza Maciel Nogueira disse...

...num sorriso de mansa luz os passos vão voando na esperança de encontrar aquela estrela,

belíssimo Assis!

Beijos

Zélia Guardiano disse...

Assis, Assis, Assis...
Que dizer , senão o de sempre: belíssimo!
Tem vez que tua luz ofusca tudo, inclusive as palavras das quais eu poderia lançar mão para comentar-te...[Tem vez, não: sempre!]
Enorme abraço, querido!

Jorge Pimenta disse...

e, todavia, não deixo de caminhar... mesmo que de noite, mesmo que com matilhas ou alcateias a lobrigar os passos, mesmo que a cruz pese mais que o corpo...
um abraço, poeta dos mil e um feitiços!

Mirze Souza disse...

Assis!

Uma noite que põe calçadas no deserto!

Bastava isto, mas a genialidade insiste e a luz crucifica por se sentir humilhada!

PERFEITO e BELO!

Beijos

Mirze

Gerana Damulakis disse...

"rol de estrelas": lindo!

Lau Milesi disse...

Desdenha nada ... :) Faz rol de estrelas pra você passar com a sua poesia .
Lindíssimo, poeta. D+ !!
Beijo

Batom e poesias disse...

Eu me derreto em lirismos por aqui.

Sua casa de palavra é tão poesia, que muitas vezes elas (as palavras) se escondem de mim e nem consigo comentar...

bj
Rossana

Batom e poesias disse...

Eu me derreto em lirismos por aqui.

Sua casa de palavra é tão poesia, que muitas vezes elas (as palavras) se escondem de mim e nem consigo comentar...

bj
Rossana

Cris de Souza disse...

Só o título já é uma viagem...
A-do-ro!

Beijos.

Lara Amaral disse...

Caminhos tracejados são puro disparate. Continue nos seus, poeta.

Beijo.

dade amorim disse...

Você e seus títulos irresistíveis, Assis.
Abração.

Daniela Delias disse...

Dade disse tudo: irresistível!