domingo, 31 de outubro de 2010

384 - Poema de vigília para repouso de ninfa

Para as noites que adormeço teu sonho
Velando o sono que irradias sossegada
Com este véu de inocencia em tua face
O branco corpo em elegante desalinho

Para as mãos crispadas sobre os lençóis
A colher em concha tão incessante vazio
Sopram migalhas do ser por entre lábios
Que eu me regozijo nesta vigília de fauno

16 comentários:

Luiza Maciel Nogueira disse...

belíssimo, mais uma vez! Nas noites de ternura o sono é sonho que voa entre amores perdidos.

beijos

Vanessa Souza Moraes disse...

As vilígias me enternecem...

Ingrid disse...

Vigília de amor puro e paixão.. magnífico Assis!
um beijo.

Mirze Souza disse...

Belíssimo!

No repouso da ninfa, a vigília do poeta!

Cheio de LUZ!

Beijos!

Mirze

Jorge Pimenta disse...

poema branco, onde as albas seguram a tinta e o olhar em permanente vigília...

Feeling what the other feels disse...

Maravilhoso Assis. Só o amor puro e verdadeiro, nos faz, abrir mão do nosso descanso, pra velar o sono do amado. E neste momento, se emocionar, e se regozijar, e descansar mais a alma, que se tivesse dormindo.
Uma ótima noite pra ti, Assis.

Lara Amaral disse...

Ah, quem não gostaria de uma vigília assim ;)

Lindo!

Gerana Damulakis disse...

Excelente! Assis, vc tá q tá.

Lau Milesi disse...

Poeta Assis, você é d+ !!! Com uma vigília dessas ( e ainda por "Fauno") não há ninfa ou deusa que não durma o sono dos anjos...ou dos deuses.
Lin-dís-si-mo!!!

E super oportuno, pois hoje estamos vivendo um dia histórico no nosso país.
Hoje, o "mito" mulher merece todas as homenagens. :):)
Muitos Parabéns!!!

Beijo

Lívia Azzi disse...

Ao distanciarmos de nós mesmos, nos salvamos de nos afogar nas águas de nossa própria imaginação. E que ao direcionarmos ao outro, saibamos nos lançar sem nos perder.

Um beijo!

Lívia Azzi disse...

Ao distanciarmos de nós mesmos, nos salvamos de nos afogar nas águas de nossa própria imaginação. E que ao direcionarmos ao outro, saibamos nos lançar sem nos perder.

Um beijo!

Daniela Delias disse...

Doce vigília...
Belíssimo!

Bípede Falante disse...

Quem me dera fazer do meu tormento um repouso.
bjs

Zélia Guardiano disse...

Muito lindo, meu querido Assis!
"Recolher em concha tão incessante vazio"
Ai...
Enorme abraço

Everson Russo disse...

Vigilia de amor,,,um belo dia pra ti amigo,,boa semana...abraços.

Cris de Souza disse...

essa vígilia é de arrepiar...

beijo, Assis dos mil olhares!