quinta-feira, 21 de outubro de 2010

374 - um quase poema para Tonio e Inge

A moça tinha sobrancelhas alvas e uns lábios recortados de azul.
Às vezes o sol vinha e brincava em seu corpo.
Ela, então, se misturava a água e parecia renascida de luz.
Seu olhar não se fixava em nenhum ponto, bailava.
Soprava uma brisa tão antiga que eu nunca mais quis me enternecer.

26 comentários:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

se fosse eu um sujeito de tintas e peinceis comporia um desenho com essas tuas palavras , a imagem me veio aqui, está aqui

Mai disse...

Brisa antiga...Uma visão, ternura com que se toca e é tocado. Luz de azuis, luz de horizonte onde céu e mar se encontram e lá também Tonio e Inge.
As vezes o tempo sopra esses ventos e traz de volta esses esboços coloridos - imagens de luz - como se fossem um prisma de mil cores, cintilante e brilhante. Como aquela estrela que dá vontade de pegar, parar o tempo e reter.

Não dá p'ra não sentir esse momento ou viajar nessa nau.
É pura ternura esse quase poema.

beijo

Pablo Rocha disse...

Moças assim merecem teu poema, Assis. Acredito que a cumprimentaria se ela, sem que eu a conheça, passar por aqui neste momento.

Abraços!

Zélia Guardiano disse...

Brisa antiga mexe tanto comigo, meu querido Assis!
Ela costuma levar minha alma consigo...
Fico um casulo oco.
Grande abraço

Lou Vilela disse...

Tocante, meu caro! ;)

Cheiro

Feeling what the other feels disse...

As vezes o tempo nos traz lembranças assim, que marcaram em tom de anil. Brisas que mesmo que antigas, enternecem em detalhes.
Levo-te poeta Assis!

Ingrid disse...

e renascer sempre pelas palavras que nos levam e trazem como as marés... Beijo.

Lara Amaral disse...

Que bonito isso, poeta! =)

Beijo.

Eder Asa disse...

Quase poema é muita modéstia, né? HAHA' Uai, um poema, realmente, digo de tela.

Obrigado, Assis... Tens me inspirado muito, ultimamente.

Malu disse...

Lindo e tão doce ...


Bjo.

Sandra Botelho disse...

E em uma lousa magica o soneto de fez pintura...
Bjos achocolatados

Jorge Pimenta disse...

assis,
sempre associei a poesia à música, de modo primacial; neste teu poema, o sensacionismo (nas cores e pequenos movimentos subtis) refunde este meu entendimento, inscrevendo a poesia na pintura. com pincéis nos dedos :)
um abraço!

Gerana Damulakis disse...

Ediney escreveu exatamente o que eu pensei quando acabei a leitura, ou seja, deu uma vontade de pintar essa tela.

Renata Luciana disse...

Essa moça é uma lindeza!

Lau Milesi disse...

A brisa soprava romantismo. Lirismo puro.Amei o título. Muito lindo, seu poema.Ele parece cantar.Enquanto o lia, ouvi harpas,violinos,cítaras,flautas e os mais singelos instrumentos.
Parabéns, poeta Assis.

Um beijo.

Tania regina Contreiras disse...

Junto-me ao Edney e a Gerana: vontade de fazer na tela o que vc pintou com letras: coisa mais bela, Assis! Ler vc inspira, sim...Vontade de fazer arte...
beijos,

Mirze Souza disse...

Assis!

Que imagem neste "quase-poema" assim intitulado.

E no entanto é tão completo o poema que quase enxergamos a moça. Porque a brisa se faz presente.

Belíssimo!

Beijos, poeta!

Mirze

Lídia Borges disse...

Uma pintura renascentista, este seu poema!
Estou a ver a "moça".

Lindo!

Um beijo

Batom e poesias disse...

Assis
Pois aqui, eu me enterneço até quase derreter...

Em tempo, o 371 "Poema já um tanto envelhecido" é uma das coisas mais lindas que eu já li. De tudo!

bj
Rossana

Daniela Delias disse...

Incrível como do lado de cá sempre acaba em suspiro! "Lábios recortados de azul...". Precisava repetir isso.
Lindo! Bjão ;)

Marcantonio disse...

O poema é muito bonito. Mas o título me deixou intrigado. Seria sobre um dos Mann que não li, o Tonio Kroeger?

Abraço!

dade amorim disse...

Visual e belíssimo, Assis - cheio de cores.
Mas tenho a mesma dúvida de Marcantonio.

Beijo, um ótimo fim de semana.

INVENTADAS VERDADES disse...

"...o sol vinha e brincava em seu corpo./ parecia renascida da luz."

Estou me sentido assim!


Estive longe por questões de saude. De volta e com muita vontade....
Bjs

Everson Russo disse...

Que esse sol toque sempre com paz e essa brisa seja leve de amor..abraços de bom final de semana.

Jorge Pimenta disse...

assis,
e numa releitura, toco os quatro elementos sobre a tela.
um abraço!

Cris de Souza disse...

Curioso, essa gente não me é estranha...

beijo!