quarta-feira, 20 de outubro de 2010

373 - concerto para a súbita rajada de vento

do rosto hirsuto
cai-me o dilúvio
de pesares

eu nada sinto
neste anódino
e vão levitar

invento sombra
e deslizo ágil
em gesto mudo

26 comentários:

Lau Milesi disse...

Brilhante, Assis.Que concerto!!!! Você não é só "O POETA", você é a própria poesia.

Parabéns, poeta amigo, pelo seu dia.

Um beijo e obrigada por "compartilhar" suas belas obras.

Mulher na Polícia disse...

Nossa!

Rebuscado...

Um beijo com efeito anódino nesse rosto hirsuto...
: )

Zélia Guardiano disse...

Lindamente triste, querido Assis, poeta dos poetas...
Emorme abraço

Malu disse...

Lindo isso:

"invento sombra
e deslizo ágil
em gesto mudo"


Bjo e um Dia de Paz ....

Everson Russo disse...

Instigante poema amigo,,,belissimo, parabens a ti pelo dia do poeta hoje,,,abraços...

Primeira Pessoa disse...

zé de assis, seu poema e essas rajadas de vento causam-me uma espécie de constante calafrio.

o que é quase tão amedrontador quanto aquela sensação que tenho toda vez que uma nuvem escura esconde o sol e decreta um eclipse momentaneo em meus quintais.

saúdo-te com saudade de te ler.

abração do

roberto.

Glorinha L de Lion disse...

Olá Assis, vi teu comentário na Zélia e gostei. Fiquei curiosa e vim te conhecer. Adorei o que escreve e como escreve. Poesia pura, puro sentimento e emoção. Amei. Abraços.

Mirze Souza disse...

Assis!

Ágil em tudo, já senti. Me ensina a inventar sombras?

Maravilhoso!

Beijos

Mirze

Ingrid disse...

mesmos nas palavras que emanam tristezas, sempre te superas!
um beijo carinhoso.

Lara Amaral disse...

Deslizamento de feições.

Lindíssimo!

Marcantonio disse...

Desliza o poema (jamais anódino)feito nuvem tocada em concerto com o céu acinzentado.

Grande abraço!

Pablo Rocha disse...

A anestesia da dor, a mudez do corpo, o choro. Coisas tão comuns em nós captadas como bela poesia aos olhos do poeta. Mais uma bela contribuição, Assis.

Abraços!

Lívia Azzi disse...

A introspecção proposta em seus versos nos induz a arte de contemplar palavras.

Um beijo!

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo, voltei.
Parabéns pelo seu dia.
Abração

Mai disse...

Gosto quando você inclui as palavras incomuns e deixa o diferente em harmonia, e tudo flui mesmo assim, como uma pluma ondulando no ar.

beijo

nina rizzi disse...

é doce deslizar aqui...

Tania regina Contreiras disse...

Com nuvens acinzentadas, mas...sempre a beleza presente, Assis: parabéns para o poeta de 1001 poemas!
Beijos

Cris de Souza disse...

isso não é rajada, é um furacão completo.

beijo, queridíssimo!

Eder Asa disse...

Um concerto em que não há não estragado =D

Parabéns pelo seu dia, Assis!

Gerana Damulakis disse...

Poeta inventa sombra. Gostei disso.

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti amigo...abraços.

Lou Vilela disse...

Gostava de uma rajada de ventos que afastasse os pesares.

Beijos

Maria Paula Alvim disse...

vã é a luta contra as intempéries... Gosto dos curtas melancólicos. Abraço.

Vanessa Souza Moraes disse...

Nada sentir gasta muita energia.

Daniela Delias disse...

Melancolia boa de se sentir...
Bjo!

dade amorim disse...

Uma tristeza cheia de doçura.