segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

420 - Para quando teu olhar cair no horizonte

Não sei o que me contas com teu gesto
Aparvalhado de mordiscar os jasmins
E fazer crescer fundas raízes no peito

Apenas capto teu transitório germinar
De mulher a inspirar jardim e paisagem
E tecer este labirinto em que me enredo

26 comentários:

Mai disse...

Um poema assim é o unguento que sempre alivia os olhos e a alma, Assis.

cheiros de jasmin, poetamigo.

João Victor Araripe disse...

MUITO BOM ! Adorei o seu blog ! Visite o meu blog sobre tênis e retribua o comentário ! : breakpointbrasil.blogspot.com/ - SIGA MEU BLOG E MEU TWITTER, que eu sigo o seu de volta !twitter @breakpointbr, caso queira seguir. Se puder me LISTE :-)

Obrigado !

Zélia Guardiano disse...

Ah, que de um labirinto assim, ninguém há de querer encontrar a saída...
Versos adoráveis, meu querido Assis!
Abraço apertado!

Marcantonio disse...

Uma imagem bonita como essa "de mordiscar os jasmins" faz o gesto parecer eterno.

Abração!

Wanderley Elian Lima disse...

Ela te seduz com pequenos gestos, te deixando sem saída.
Abração

Lau Milesi disse...

Belíssímo, poeta Assis.

"Aparvalhado de mordiscar os jasmins"... lembrei de um beija-flor doidinho procurando água nas flores da minha varanda.Muito lindo!
Um beijo de bom dia, e obrigada pela solidariedade tricolor.

Neeeenseee...(extravasando):)

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

labirintos e horizontes que se entregam,e ainda há o gosto sempre por perto

Lua Nova disse...

E eu, por outro lado, encanto-me em perder-me no labirinto encantado das tuas palavras.
Beijokas, poeta.

O símbolo disse...

Bela proposta, mil e um poemas...

E depois que escreve-los...o que haverá?

Lara Amaral disse...

hum... agora o horizonte que cai em mim...
Maravilha!

Sandra Botelho disse...

Talvez ela esteja tecendo a teia do amor...
Bjos achocolatados

Lou Vilela disse...

Lindo, poeta!

Por digressão, cheguei a Clarice: "Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras".

Beijos

LauraAlberto disse...

daqui consigo sentir o odor deste teu poema...
Beijo
Laura

Mirze Souza disse...

Assis!

É dom da mulher a insinuação. Cabe ao homem entender e agir. Assim penso.

Beijos, poeta MIL!

Mirze

Luiza Maciel Nogueira disse...

Poema labirinto até achar o amor! Belo demais os jasmins, flor cheirosa uma imagem muito viva! Bjs

Lua Nova disse...

Assis, passa no meu blog e dá uma olhada no link pro "Mil e um poemas" no sidebar.
Se vc não gostar, eu tiro.
Beijokas.

Jorge Pimenta disse...

para quando? alguma vez cairá?
(os olhos não caem, por si sós; há que os desprender do cordel que segura as pontas do labirinto).
um abraço!

Malu disse...

ADOREI !

Mordiscar jasmins , ...


Bjo.

Lídia Borges disse...

"O gesto aparvalhado de mordiscar os jasmins"

Visualizo o quadro... Tão bonito!
Acredito não ser fácil resistir.

Além disso há o ritmo e as metáforas
"em que me enredo".


Um beijo

Ingrid disse...

Bela mulher que te envolve ..
te levando aos jardins do amor..
beijo querido Assis.

Bípede Falante disse...

Quem me dera ter esse tecido para me vestir...

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Assisamigo
Canso-me de dizer que sou mais prosa, nela me revejo,nele me realizo, nela me perco.

Mas também gosto de poesia, simples mas complexa, linear mas imbricada, forte mas suave, dolorosa, mas terna. E esse é o teu caso. Desculpa-me a expressão: pares poesia como tudo que vem ao Mundo, na esperança de o tornar melhor.

E nós todod temos vindo a enganá-lo, a malbaratá-lo, a destrui-lo sem darmo conta de que ele é o único que temos.

Gostei da tua posição crítica, gostarei mais seme disseres que passaste da aspiração à construção desse nosso Mundo melhor. Talvez ainda cheguemos a tempo.

Merecem os nossos esforços os nossos filhos, as nossas filhas, os nosos netos as nossas netas. Merecem todos os homens, de todas asa raças, de todas as cores, de todas as diferenças. Merece a Humanidadade.

Gostarei de te ver lá pelo meu covil onde quero que te inscrevas como meu (per)seguidor e postes comentários, Fico à espera

Abs

Everson Russo disse...

Mulher, jardim, paisagens,,,inspirações sem fim..abraços de bom dia.

Lívia Azzi disse...

Todo movimento e inquietação feminina vêm do enleio de ser interrompida em sua confusão. Para poder germinar e florescer. E depois de flor, murchar e cair num abismo sem fim, do néctar, da terra e do ar. Do labirinto de amar!

Um beijo!

Cris de Souza disse...

esse é bom de recitar no pé do ouvido...

dade amorim disse...

Gostoso e íntimo, Assis.

Bj