quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

434 - Balada de torpor e incessante desalinho

No bravio do vento bailam notas de entorpecer
Acariciam-me de bemóis nuas as tantas claves
para que os horizontes se rasguem em sinfonia
sobre o sumo impermeável que traz a tua maçã

21 comentários:

Mirze Souza disse...

Fantástico!

O bravio do vento encontra carícias em bemóis! Que os horizontes sempre se rasguem em sinfonia!

Beijos, poeta MIL!

Mirze

AC disse...

O sempre importante alento do outro...

Abraço

Wanderley Elian Lima disse...

O vento canta uma melodia, como se estivesse dando um recado da pessoa amada.
Abração

Everson Russo disse...

VEntos em sintonia com o amor e em sinfonia com o desejo...belissimo,abraços de bom dia.

Malu disse...

Deixo-me levar pela sinfonia
do vento ...


Bjo.

Ira Buscacio disse...

Assis,

Em que vento o desejo se esvai?!

Bj e boa quinta

* verinha * disse...

Parabéns por mais este belíssimo poema!

Um beijinho em seu coração..
*verinha*

Cris de Souza disse...

ô delícia!

Zélia Guardiano disse...

Encanto, meu querido Assis!
Encanto!
Forte abraço, amigo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

Eis a muúsica do momento, um doce! Beijo

Mai disse...

Desnudar claves foi uma bela imagem
com trilha em bemol.
Você inventa loucuras, eu ins.piro

cheiro

Fernand's disse...

impermeável e impenetrável!


rs

bjs meus

Lau Milesi disse...

Bem que a Viviane Mosé diz que "Poema é o estado em que as palavras falam sozinhas".Achei lindo quando você diz:... "Acariciam-me de bemóis nuas as tantas claves".É de uma sonoridade... Parabéns!!
Um beijo,poeta,e obrigada por sua solidariedade à passagem do meu amigo.

Tania regina Contreiras disse...

Horizontes rasgando-se em sinfonias: nossa, um dia ainda tomo emprestados os seus versos, Assis, porque eles sempre dizem das minhas coisas indizíveis, intraduzíveis...são simplesmente fantásticos!
beijos,

Eder Asa disse...

Sustenido encantamento!
Belo, Assis, mui belo.

Dario B. disse...

Poema em allegro vivacce. Bravo.

Ingrid disse...

e que balada sonora Assis..
a entorpecer sinfonias e maçãs ..
Beijo.

Bípede Falante disse...

Perigosa maçã a que não se deixa morder de verdade...
Que poema enigmático!
beijo

Everson Russo disse...

Um belissimo final de semana pra ti amigo,,,muitos versos de paz...abraços.

Í.ta** disse...

a música me parece inerente ao teu poema. em conteúdo e em ritmo.

tem um pouco do graça lá no um-sentir :)

grande abraço!

traidadabarra disse...

Que belezura de balada.
Voltarei + vezes.
Bjs traidadabarra