terça-feira, 6 de setembro de 2011

698 - para uma geografia de asas cortadas

p/ Wilson Nanini


meu tumulto é a palavra
descortino alvoradas
com ela dou-me vícios
repito até a exaustão
corruíras e girassóis
jasmins e sempre-vivas
com ela alço esse ímpeto
de arcanjo sem asas
vislumbro sol e arrebol
tenho mares e alamares
feitiço de todos os santos

meu tumulto é a palavra
em raízes e predicados
silêncios e alvoroços
na mais funda evocação
com ela dou-me instintos
pelejo lamina e punhal
lido com reinos, donzelas
reordeno o mineral, vegetal
faço trovejar na caatinga
vazo leito, ribeiro e córrego
alço de ímpetos o vocábulo

16 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Lindíssimo, o poema!
Lindíssimo, o poeta!
Lindíssimo, o homenageado!
Abraço bem apertado...

José Sousa disse...

Amigo Assis!
Depois de uma temporada de trabalho com na realizações de festas, cá estou eu já com menos trabalho e com mais disponibilidade para o que gosto que são os meus blogues e seguidores.
Gostei deste poema como sempre!

Um abraço bem forte.

Analuz disse...

No tumulto das palavras
me apascento...

Belíssimo,poeta Assis!

Everson Russo disse...

E que essas palavras sempre façam tumultos de paz e harmonia...abraços de bom dia pra ti amigo.

MIRZE disse...

Benditas as palavras que causam esse tumulto de onde cai essa maravilhosa névoa poética!

Beijo

Mirze

Cris de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bípede Falante disse...

O meu tumulto é o das palavras que não falam entre si...
Adorei o poema, Assis.
beijos

Cris de Souza disse...

um poema nobre para um poeta rico. merecidíssimo! nanini é um dos melhores desses reinos...

beijo, mestre!

Jorge Pimenta disse...

oh, assis, e ainda bem que a palavra encerra todos os tumultos, ou ainda seria filtro mais precário dos nossos sentires.
um abraço!

Wanderley Elian Lima disse...

a palavra está a serviço do poeta, mas poucos sabem usá-la com maestria como você.
Abração

Adriana Aleixo disse...

Belissima metalinguahomenagem.
Bjo!

Wilson Torres Nanini disse...

Assis,

só posso me curvar e beijar seus pés.

Fiquei um brejo apaziguado.

Muito, muito, muito obrigado!!!

Ah, e isso vai ter troco!!!!!! (rsrs)

Abraços!

Ingrid disse...

Assis,
belíssima paisagem nos levou em teus sentidos..
beijos..

dani carrara disse...

sempre quis escrever um verso
que o anjo estivesse na linha. que a matéria fosse pipa no céu das bocas. ( e as palavras, donas das línguas, fossem embora antes do beijo)

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Nanini ninado: trem bonito...
O troco, queremos o troco: e eu nem torço pro Botafogo, sou mais tricolor...

Abraço a ambos,
Pedro Ramúcio.