quinta-feira, 22 de setembro de 2011

714 - Canção para contradança e obnubilação

Teus olhos me inventam carinhos novos
Recobrem a placidez das alvoradas
Fazem ninho no alvoroço das palavras

Com eles envolvo desertos de candura
Navego mares em incessante busca
Esmiúço o silencio que se descortina

10 comentários:

Everson Russo disse...

Harmonia em passos e compassos de amor...abraços de bom dia.

Celso Mendes disse...

Receber novos carinhos de olhos de musa só podem alvoraçar as palavras do ninho mesmo.

Figuras geniais. Para obnubilação dos leitores.

abraço!

Analuz disse...

Ah, essas bocas que sabem roubar silêncios...

Beijinho de fã,poeta Assis!

MIRZE disse...

BELEZA!

Esmiuçar silêncios é muito bom mesmo!

Beijo

Mirze

Ira Buscacio disse...

Novidades óticas de afetos e outras considerações, mtas vzs nos calam. bjão

Bípede Falante disse...

Essa fase mais derramada em outro ser está fascinante!
beijos :)

Jorge Pimenta disse...

nem todos os olhos existem para poder ver...
abraço, poeta-amigo!

Ingrid disse...

olhares em sintonia..
beijos querido.

dade amorim disse...

Carinhos de povoar desertos.
Beijo, Assis.

Daniela Delias disse...

Um verso mais lindo que o outro...