quarta-feira, 14 de setembro de 2011

706 - outro repente arisco para nomeada de pontos cardeais

quisera eu o singelo da nuvem apascentada
o teu olhar de flor prestes a sair do cativeiro
a pátina suave dos teus dentes em minha pele
o teu aroma de cereja que vem das cavidades

quisera eu carícia mais terna dos teus braços
o envolver-se de mistérios que assoma lábios
quando a estrada se faz no visgo dos desejos
quando o recato ensandece de luz teus poros

quisera eu tanta luta nesta peleja de elevação
os teus sentidos a impor os pontos cardeais
imperando com um norte para lúdica jornada
quisera eu ser forte como leste que me deste

10 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Querer é poder. Basta tentar.
Abraço

Everson Russo disse...

Nada mais pleno e louco que desejar uma carícia de amor...abraços de bom dia pra ti amigo.

MIRZE disse...

SUBLIME!

Beijo

Mirze

Lua Nova disse...

Adorável!

"...quando a estrada se faz no visgo dos desejos
quando o recato ensandece de luz teus poros..."

Lindo!

Beijokas, meu poeta dos sentidos.

Celso Mendes disse...

quereres de ensandecimento à pele em flor.

sempre belo.

abraço!

Zélia Guardiano disse...

Os pontos cardeais...
Lindíssimo, Assis, meu amigo, grande poeta!!!
Bjs

Bípede Falante disse...

Sabe o que eu acho do que você escreve?? Bonito bonito bonito de doer :)
beijo

dade amorim disse...

Nem sempre os pontos cardeais nos servem como queríamos.
Beijo, Assis.

Jorge Pimenta disse...

tudo quanto queremos é apenas metade do que podemos e ainda menos do que teremos. como os pontos cardeais, afinal: se me viro para norte, fico desorientado. se escolho o oriente, fico desnorteado. e a rosa dos ventos em combustão química na minha cabeça.
abraço!

Ingrid disse...

nortear-se no amor..
bela direção..
beijos poeta.