quinta-feira, 15 de setembro de 2011

707 - repente de aproximação para coisas tão desiguais

há coisas que libertam
como o cortejo de borboletas no cio
ou o espraiar dos olhos na madrugada
há outras coisas para libertar
como aquele beijo perdido na esquina
ou aquela correntinha de ouro
esquecida no pescoço
há também coisas de liberto
como a saúva que mordiscava beijo
ou a víbora que ensandecia nas pernas
há todavia coisas de liberdade
como as palavras fecundadas na alvorada
ou os versos que contaminam girassóis
há – não sei como dizer – a própria liberdade
que não cabe em nenhuma metáfora

17 comentários:

Zélia Guardiano disse...

" os versos que contaminam girassóis "
Pra que mais?
Abraço apertado, Assis, meu amigo, grande poeta!

Everson Russo disse...

Aquele beijo perdido na esquina,,,que jamais será esquecido...abraços de bom dia pra ti amigo.

Rejane Martins disse...

há, não sei como dizer, um superlativo em poesia - livríssima - como esta tua, dona de si, na sublime sujeição à liberdade.

Lau Milesi disse...

Seu repente é lindo,lindo,"reluz"... e é "libertador".Afff... e ufff!!!
Um beijo, poeta.

MIRZE disse...

A liberdade que não cabe em nenhuma metáfora, está presa no livre arbítrio.

Maravilha!

Beijo

Mirze

teca disse...

Eu gostei disso: "... a própria liberdade que não cabe em nenhuma metáfora."

Beijo.

Ira Buscacio disse...

Assis querido, saudade gigante desses versos! Quanta coisa perdi, já estamos no 707.
Retomo com normalidade a poesia que me faz alguém melhor.
Bj grande

Luiza Maciel Nogueira disse...

teus versos libertam caro Assis e para mim você já é um dos maiores poetas que já li.

grande beijo

dade amorim disse...

Liberdade liberdade, abre as asas sobre nós, que tanto precisamos e queremos.
Beijo, Assis.

Jorge Pimenta disse...

assis,
a liberdade sem metáfora é mesmo o desígnio último do ser. mesmo que nem todas as coisas libertem.
um abraço com todas as coisas que na tua poesia nunca se fazem iguais.

Lalo Arias disse...

Essa tal de Liberdade que tanto nos assusta e fascina.
Grande abraço, Assis.

Primeira Pessoa disse...

zé de assis... to precisando falr contigo. me dá seu telefone?

Primeira Pessoa disse...

manda por email...

Tania regina Contreiras disse...

...e teus versos, de grandiosos, mal cabem em mim! Lindooooooo, Assis!!
Beijos,

Vais disse...

que bonito, Assis, essas coisas de liberdade

como as palavras fecundadas na alvorada

beijo

Ingrid disse...

li e reli..
encantada..
beijo Assis..

dani carrara disse...

nossa! muito lindo. mesmo..