sábado, 17 de setembro de 2011

709 - primeiro estágio para vivência de uns resguardos

a moça tinha pele de nuvem
não,
acho que a moça
era uma nuvem própria
sabe aquelas coisas que flutuam
e não importa se estejam no céu

pois carregam o princípio da elevação
parece que ao comando de sinais
a sina de pedra camufla algodão

a moça tinha pele de nuvem
não,
quando a toquei ela era nuvem
absolutamente dissoluta
a se deixar escorrer pelas mãos

17 comentários:

Analuz disse...

Adorei esta conversa contigo sobre a moça nuvem... leveza que leva

beijinho de fã, poeta Assis!

marlene edir severino disse...

De nuvem, teu poema

[e já gosto tanto de ficar fora do chão...]

Abraço!

teca disse...

Dá para flutuar nesses afagos...
Beijo.

Everson Russo disse...

Que perfeito isso, a moça tinha pele de nuvem, não, acho que a moça era uma nuvem própria...simplesmente perfeito...abraços de bom sábado.

MIRZE disse...

SENSACIONAL!

Poema e estilo!

Beijo

Mirze

Van disse...

se além de nuvem for doce como algodão doce...desmancha na boca

Beijos Assis!

Luiza Maciel Nogueira disse...

elevadíssima poesia em tom de nuvem, mas parece um dia essencialmente azul, apesar das nuvens. Daqueles dias em que as nuvens são detalhes surpreendentes no meio do céu.

Beijos

Milla Pereira disse...

Que bom, poeta. Assim vai dar tempo de ler quase tudo por aqui até o de numero mil! Bom fds, bjks.

Sandra Botelho disse...

talvez se dissolva em gotas de amor...
Bjos achocolatados

Cris de Souza disse...

Essa moça é uma viagem...

Beijo, mestre!

Cris de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniela Delias disse...

Moça delicada, poeta querido!!!
Lindo...
Bjão!

Lau Milesi disse...

Lindo, seu poema. Muito lindo!
Um poema de celebração.Benza Deus!!
Um beijo, poeta Assis.

Anna Amorim disse...

Assis,

De tudo que não alcançamos. Sonhos e pés fora do chão.

Beijos poeta

Anna Amorim

dade amorim disse...

Ambígua pele de nuvem dissoluta.
Beijo, Assis.

Ingrid disse...

se deixar escorrer..
beijos perfumados..

Bípede Falante disse...

Assis, estou arrepiada, minha pele até foi buscar as minhas nuvens para acalmarem-se diante das suas. Como você é poeta! Mas é muito!!
beijoss