segunda-feira, 9 de agosto de 2010

301 - A la Leminski


A poesia de hoje em dia
É rica de risco e avaria
Mas isso não é afirmação
Só uma aliteração

19 comentários:

Mai disse...

Por isto eu ri.
Porque quem sabe usa sabiamente como fazia Leminski. E assim, você usou.

um abraço e um sorriso.
boa semana, poeta

Fouad Talal disse...

só ri quem sorri.

abraço!

Zélia Guardiano disse...

Show, Assis... Show!!!
Você sabe tudo, querido...
Grande abraço!!!

"Não discuto
Com o destino
O que pintar
Eu assino"
Leminski

nina rizzi disse...

metapoesia
metalinguagem
metassis.

Everson Russo disse...

A poesia é cheia de contradições da alma...abraços de otima semana.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Rica aliteração...
Fica bem a rima em tua mão, poeta de Feira...

Abraço metapoético,
Pedro Ramúcio.

Tania regina Contreiras disse...

Leminski da Feira de Santana: bravo, Assis, eclético e poético, sempre.
abraços

Maria Vieira disse...

taí dois caras q mto admiro: Leminsky e Mestre Assis.

Sandra Botelho disse...

A poesia é mutação, em épocas dias e anos.
Bjos achocolatados

Jorge Pimenta disse...

a poesia é risco e avaria, é transgressão e regra, é letra e som, é imagem e derrapagem, é aliteração e silêncio. sem tempo ou prazo de validade. simplesmente poesia.
um abraço!

Gerana Damulakis disse...

Bacana, bem leminskiano.

Lara Amaral disse...

Total Leminski, adorei! Bom ter pitada de Assis em tudo. ;)

Luiza Maciel Nogueira disse...

Lembra mesmo Leminski
Muito bom

Bjs

Eder Asa disse...

A aliteração é um eco fanho?

Fred Caju disse...

Leminski está feliz.

Daniela Delias disse...

Bom demais arriscar-me por aqui. Sempre saio com suspiros...bjos, querido!

Rafael disse...

Uau, adorei! Mesmo...
Abraço

Mirze Souza disse...

Sua poesia contraria Leminski!

É rica e literalmente sólida!

Abraços, Assis!

Mirze

Cris de Souza disse...

Vós sois memoráveis!