sábado, 14 de agosto de 2010

306 - Poema da Feira à noite


Dos mares eu me rio
E me afogo de bares

23 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Mas o que é que eu vou dizer, Assis, que não seja o lugar mais comum de todos? Tem de ser o de sempre: SHOW!!! É um show, este seu brincar com palavras, como se elas fossem pecinhas de brinquedo de montar...
Grande abraço, amigo!!!

Mai disse...

Me rio e me afogo 2.
Muito, muito bom!

cheiros aos goles.

Marcantonio disse...

Talássico desvio em favor de Dioniso. Rs.

Abração!

Fred Caju disse...

De tiro certeiro: rápido e avassalador.

Júlio Castellain disse...

...
Perfeito,
Como sempre, Assis.
Abraço.
...

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Bons ares sempre me trazem aqui...
E águas boas também, poeta de naus nunca à deriva...

Abraço ébrio de seus rios,
Pedro Ramúcio.

Luiza Maciel Nogueira disse...

embriagada dos teus lindos versos

bjs

Por que você faz poema? disse...

Também me afogo de bares,
de noites, e como diria
um amigo poeta, me afogo
no corpo de cerveja.

Tania regina Contreiras disse...

Eta águas nas quais estou impedida de me afogar, essas! Mas li como uma convocação e bem que queria...mas...me afogo nos versos por ora! :-)
Abraços

Eder Asa disse...

E é aí que entra a poesia, como boia salva-vidas!

Dá uma desespero saber que já ultrapassou os 300

Mirze Souza disse...

Espetáculo!

Evoé Assis!

Beijos

Mirze

Daniela Delias disse...

Arrebatador! Fez o sábado mais bonito! Bjo grande!

Lua Nova disse...

Formidável!
Beijos, poeta.

Andrea de Godoy Neto disse...

Ai, saudades que eu tive desses versos geniais!!

tá precisando de salva-vidas, poeta??..rsrs

beijo

Gerana Damulakis disse...

Bacana.

Ana SS disse...

Afogar-se de bares....bem interessante!
Assis, estarei um tanto ausente nos próximos dias. As postagens do significantes continuarão, mas provavelmente não conseguirei acompanhar os blogs que adoro.
;)
assim que eu voltar, leio todos os poemas...serão uns 12.
Continue visitando o Significantes! Volto logo!
Um abraço.

Maria Vieira disse...

faço de teus versos a minha sina.

Primeira Pessoa disse...

no meu peito, onde deveria existir um coração, existe um bar de portas abertas, 24 horas por dia.

se ue reencarnar, quero voltar de bar. rs

beijo, assis...
eu e meus 2 gin tonicas, 2 coronas e uma comida de domingo pronta pra ser servida...

cozinhei, poeta:

purê de mandioquinha com banha de bacon (frita os torresmim e aproveita um pouquinho do óleo da panela pra dar um tchan... serve os crocantim em cima do purê, com cheiro verde...), mais creme de leite e parmesao ralado, noz moscada, sal e pimenta do reino...

arroz com rapa (não é barbeiragem, não... é porque gosto da "rapa" mesmo...rs)...

salada rucula no vinagre balsamigo e azeite extra virge...

e bife de fraldinha na chapa... tava marinando numa vinha d'alhos ha pelo menos 4 horas...

e um semi-porre.

daqui a pouco tem cruzeiro x sao paulo na tv.

e, no meu peito bate um bar.
cê tem uma mesa cativa. bem la no fundinho.

beijão.

r.

cristina disse...

E eu me afogo em seus versos!
Bjs

Lara Amaral disse...

Foge-se dos lares
faz-se leito de mares

=)

Jorge Pimenta disse...

trocadilhos geniais, poeta!
pudessémos ter nós um pouco de mar dentro de cada um e rir-nos-íamos mais; provavelmente, beberíamos menos, também :)
um abraço!

Marcelo Novaes disse...

Assis,



Este é um belo e clássico lugar de afogamento.



;)







Abraços.

Cris de Souza disse...

Dionisíaco!