terça-feira, 10 de agosto de 2010

302 - Rapsódia para tramas de agosto

Como deixar para o depois
se o agora é tão presente
e flui feito rio encantado

se esse agora me conduz
sem recato
para onde bailam as violetas

se os pirilampos desavisados
emitem sinfonia
e tudo jaz à espera do sim

16 comentários:

Jorge Pimenta disse...

de encantamento em encantamento até à ironia trágica do final: o sim que, afinal, nunca deixou de ser não.
encantadoramente subtil, amigo assis!
um abraço poético!

Everson Russo disse...

Que esse sim venha logo...abraços amigo,,,bom dia.

Zélia Guardiano disse...

As tramas de agosto... Ai, Assis, querido...
Agosto fica sempre à espreita, na curva d'algum caminho...
Abraço!

Mai disse...

É urgente, que seja a gosto!

você É.

cheiros, poeta.

Mirze Souza disse...

Siga o que flui. à seu prazer e gosto, o mais urgente agosto!

Beijos, poeta!

Mirze

Cris de Souza disse...

Tecido à fios áureos...

Beijos, nobre poeta!

Ava disse...

Que delícia de poema!

Violetas que bailam e pirilampos que emitem sinfonis...

Tudo jaz a espera de nós...rs


Beijos meus!

Primeira Pessoa disse...

leio e o secos & molhados começa a tocar dentro de mim:
"bailam corujas e pirilampos/ entre os sacis e as fadas"...
danadinho, você!

beijão, assis.

Ana SS disse...

Tens razão, poeta.
O agora é tããão presente...!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Estou a ler o teu Ulisses do supermercado, Herculano me emprestou...
Agradeço também pela leitura do nosso Mais uma dose

Insana disse...

O medo de apresar e nao ter depois é grande.

bjs
Insana

Luiza Maciel Nogueira disse...

vou ficar um pouco repetitiva mas esse é lindo! Fez-me rir! :)

grata
bjs

Gerana Damulakis disse...

Agosto a gosto. Gostei.

Tania regina Contreiras disse...

Um agosto sem resguardo, Assis...assim, eu também iria, é tudo SIM!
Abraços, querido

Lara Amaral disse...

Para vc é sempre sim! ;)

Curiosa disse...

Que lindo ...
o agora sempre urge ....