sexta-feira, 13 de agosto de 2010

305 - Poema de cercania e longitude


p/Nydia Bonetti

Neste meu esquadro de incertezas
Cada palavra antecede o verbo
Como se a manhã necessitasse
Pássaros para se fazer alvorada

Assim como o carinho e os gestos
Precedessem o anúncio da chegada
Para que cada ser orvalhado
Fosse batizado de silêncio e saudade

E a cada pessoa coubesse o eterno
Em cada caminho houvesse o farol
E se nada florescesse do estranho labor
Ficasse ao menos sabor de vida nas mãos

33 comentários:

Everson Russo disse...

"Para que cada ser orvalhado fosse batizado de silencio e saudade", isso é simplesmente divino...abraços e bom final de semana.

Zélia Guardiano disse...

Coisa mais linda, Assis!
"Ficasse ao menos sabor de vida nas mãos"
Isto já seria tanto, meu amigo...
Grande abraço...

Mulher na Polícia disse...

R: Sou viciada nesse sabor de vida não só nas mãos. Quero ser encharcada de vida pelo corpo todo. Se essa vitalidade mata, amigo, eu já morri...

Beijos!
Adorei esse poema.

Í.ta** disse...

ah, que ótemo. eu vi no blog da nydia esses poemas dialogados aí.

maravilhosos!

grande abraço!

Mirze Souza disse...

Que essa longitude alcance Nydia. Que hoje está divinamente inspirada.

"Para que cada ser orvalhado fosse batizado de silêncio e saudade"

Assis! Coisas superiores aos seres humanos o circundam.

Belíssimo! Do princípio ao fim!

Beijos

Mirze

Tania regina Contreiras disse...

"Para que cada ser orvalhado fosse batizado de silêncio e saudade..." Coisa mais bonita, Assis, e uma homenagem tão bem merecida: a Nydia escrve que me arrebata!
beijos

Feeling what the other feels disse...

Assis quando escreve, acerta em cheio um coração. Cda coração tem suas necessidades, e as encontro a cda dia numa frase tua. Obrigado por cda presente diário. Um abraço.

Daniela Delias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniela Delias disse...

"esquadro de incertezas"...a doce engenheira lembrada pelo nosso poeta querido de todos os dias! Muito linda a homenagem. Nydia e Assis, uma dupla que me arrebata! Bjos!

Jorge Pimenta disse...

sentimentos inteiros como o eterno em cada um ou o caminho do farol, mesmo que num esquadro de incertezas. nydia deve estar orgulhosa desta tela, assis.
um abraço, poetas da paleta de cores infinitas!

Joana Masen disse...

Realmente, as manhãs não necessitam pássaros para fazer alvorada. Porém, nossos dias necessitam seus versos para se fazerem completos.
Bjos!

Lídia Borges disse...

Das incertezas se faz a alvorada do verbo, ao sabor da vida.

Um belíssimo poema!

L.B.

Lara Amaral disse...

Delicadeza de versos para uma poetisa que amo. Coisa linda vcs!

Beijos.

Cristiano Contreiras disse...

Sempre é uma beleza contemplar teus sentires! abs

Batom e poesias disse...

Sobeja o pretérito imperfeito.
Se eu "soubesse" escrever assim...
:)
Lindo poema, Assis.
Linda a Nydia.

Bj
Rossana

nydia bonetti disse...

Que mergulho neste universo que é meu - e seu também - de pássaros e incertezas, silêncios e saudades - de flores nas mãos. E se soubesse como a imagem do farol me comove:

dizem
que o homem do farol
é feliz

acho que todos nós, poetas, ainda que perdidos em nossas longitudes e cercanias particulares, somos todos felizes - orientados pelo verso - seguimos. Obrigada, Assis! Simplesmente lindo. Beijo grande, Nydia.

Sandra Botelho disse...

Simplesmente maravilhoso.
Bjos achocolatados

J.F. de Souza disse...

Não sei descrever o que sinto ao ler isso, meu caro...

Sei que é comovente. Lindo mesmo. Nydia deve ter gostado muito disso. =)


1[]!

Luiza Maciel Nogueira disse...

Nydia realmente merece!! Ficou lindo!


Beijos

Vanessa Souza Moraes disse...

Toda certeza é neurótica.

Úrsula Avner disse...

Olá poeta,

indescritível é a beleza e intensidade desse seu poema... Bom mesmo é absorvê-lo e não descrevê-lo... É bem ao estilo lírico ,profundo e sensível de versejar da Nydia a quem muito admiro. Um abraço.

Gerana Damulakis disse...

Grande poema para uma grande poeta lírica, Nydia querida.

Insana disse...

Lindo como sempre.

bjs
Insana

Marcelo Novaes disse...

Assis,


Ficou o sabor nas mãos, foi soprado e chegou-nos ao rosto.





Abração.

Marcantonio disse...

Belo como homenagem. Belo como poema em si mesmo. Belo enquanto sentimento e aspiração.

Abração!

Domingos Barroso disse...

Assis, meu camarada
é de um poema cristalino
(esse teu é além)
que se purifica
uma alma cansada
ou um corpo dolorido.

Forte abraço.

Mai disse...

Você esquadrinhou bela e suavemente, toda sua geografia em latitudes e longitudes.

"Sabor de vida nas mãos", Assis, coisa mais doce e saborosa de se ler, sentir, expressar...

A Nydia passa mesmo, toda essa inteireza e delicadeza que você poemou.

Abraço de admiração a ambos.

Everson Russo disse...

Um belo sabado pra ti amigo,,,abraços.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Assis,
Homenagens rendidas assim chegam a dar inveja, que, em literatura, é o sentimento mais nobre que existe, disse-o Drummond admirando-se de uns quintanares...
E a Nydia é por merecer todo seu prenúncio, irmão da Feira diuturna...

Abraço silencioso,
Pedro Ramúcio.

Andrea de Godoy Neto disse...

Assis, a Nydia merece mesmo a homenagem, e teu poema é simplesmente maravilhoso!

"Como se a manhã necessitasse
Pássaros para se fazer alvorada"
e
"Para que cada ser orvalhado
Fosse batizado de silêncio e saudade"

são versos que guardarei no meu relicário

beijo

Sílc disse...

Lindo Poema para querida Nydia. Longitude, distância, saudade, temas de seus poemas. Parabéns aos dois universos tão entrelaçados.
com amor e carinho,
Sílvia
http://www.silviacostardi.com/

Cris de Souza disse...

Ambos são poetas de primera linha.

Beijos!

Adriana Godoy disse...

Assis, lindíssimo. Beijo